tempo até à partida
time until start

Sponsors

 

Uma Prova com Historia

Em vinte e seis edições do Grande Prémio Internacional de Rio Maior em Marcha, já participaram atletas internacionais representando nada menos de quarenta e oito países:

África do Sul (RSA), Alemanha (GER), Argélia (ALG), Argentina (ARG), Austrália (AUS), Bielo-Rússia (BLR), Bolívia (BOL) Brasil (BRA), Canadá (CAN), Chile (CHI), China (CHN), Colômbia (COL), Dinamarca (DEN), El Salvador (ESA), Equador (ECU), Espanha (ESP), Estados Unidos da América (USA), Estónia (EST), Finlândia (FIN), França (FRA), Ghana (GHA), Grécia (GRE), Guatemala (GUA), Honduras (HON) Hungria (HUN), Índia (IND) Inglaterra (GBR), Irlanda (IRL), Itália (ITA), Japão (JPN), Kazaquistão (KAZ), Koreia (KOR), Letónia (LAT), Lituânia (LTU), México (MEX), Noruega (NOR), Perá (PER) Polónia (POL), Portugal (POR), República Checa (CZE), República Eslovaca (SVK), Roménia (ROM), Rússia (RUS), Suécia (SWE), Suiça (SUI), Tunísia (TUN), Turquia (TUR), Ucrânia (UKR), Venezuela (VEM).

 

O ano passado foi assim… 

O 27º Grande Prémio Internacional de Rio Maior em Marcha, integrado na categoria principal do Challenge da IAAF, teve novamente a disputa na nossa cidade de uma competição de altíssimo nível, com a presença de muitos dos melhores atletas que actualmente competem nas provas de marcha a nível internacional.

Com tempo frio e chuvoso a prova de 20km femininos teve a presença de atletas já medalhadas em Jogos Olímpicos e Campeonatos do Mundo, acabando por ser vencedora a chinesa Shenjie Qieyang que já vencera em Rio Maior na edição de 2016.

Depois de um primeiro momento de alguma cautela por parte das atletas, pouco depois dos 5km a atleta chinesa desferiu forte ataque ao qual apenas respondeu a brasileira Érica de Sena, também ela uma das candidatas à vitória.

As outras candidatas mantiveram-se num segundo grupo, onde se integravam as portuguesas Ana Cabecinha e Inês Henriques, mas perto de metade da prova a atleta brasileira cedeu e foi alcançada tendo mesmo abandonado, e na luta para o segundo lugar acabou por se destacar a italiana Antonella Palmisano, que se adiantou a Inês Henriques a fazer uma prova ao seu melhor nível e que acabou por alcançar o último lugar no pódio, enquanto Ana Cabecinha terminaria em quarto lugar à frente da segunda chinesa.

Nos 20km para homens, com menos figuras de alto nível, mas com mais atletas a lutar pela vitória que no sector feminino, assistimos a uma luta interessante onde o ritmo inicial não sendo demasiado rápido permitiu que um numeroso grupo de atletas pudesse andar junto até meio da prova, a qual viria a ser ganha pelo espanhol Diego Garcia que se superiorizou ao seu compatriota Álvaro Martin que aqui vencera em 2016, sendo o último lugar no pódio ocupado pelo mexicano José Leyver Ojeda.

Na luta pelo melhor português o riomaiorense Miguel Carvalho, a representar o SLB, teve uma grande actuação e destacou-se claramente dos seus colegas de clube, Miguel Rodrigues e Pedro Isidro.

Envie a um amigo ::


Melhor visualizado em ecrãns com resolução mínima 1280x1024